Imagem em destaque do post.

ANAFE/SP participa da 5ª Semana de Educação Financeira

Como parte da programação nacional da 5ª Semana de Educação Financeira, a representação da ANAFE em São Paulo viabilizou a palestra “Gestão de Finanças Pessoais”, com Ricardo Laureno, Analista do Banco Central na último sexta-feira (18), com apoio da Escola da AGU.

Com vídeos e dados comparativos, foi possível sensibilizar os participantes sobre a necessidade de planejamento e organização financeira. Além das informações dadas durante a palestra, Ricardo Laureno tirou dúvidas dos participantes e sugeriu soluções.

O evento compõe a Estratégia Nacional de Educação Financeira – ENEF. Fazem parte da programação diversas ações educacionais, gratuitas, com o objetivo de promover a educação financeira, a mudança de comportamento do cidadão, além de contribuir para o fortalecimento da cidadania, a eficiência e solidez do sistema financeiro nacional e a tomada de decisões conscientes por parte dos consumidores.

A ANAFE parabeniza a iniciativa do Banco Central e divulga o curso online gratuito de 20h para aprofundamento do tema: www.cidadaniafinanceira.bcb.gov.br.

NOS ESTADOS

Integrando a programação da Semana Nacional de Educação Financeira, a representação da ANAFE no Paraná e a Escola da AGU/PR também promoverão a palestra “Gestão de Finanças Pessoais”, com o analista do Banco Central, Enrikson Antônio Falabretti.

O evento será realizado na próxima segunda-feira (28), às 14h, na sala da Memória da UFPR – 1º andar Praça Santos Andrade s/n. As inscrições devem ser realizadas pelo e-mail: escolaagu.pr@agu.gov.br.

MARATONA

Realizada anualmente desde 2014, a Semana ENEF apresenta um balanço bastante positivo. Em 2017, contou com 1.826 ações – presenciais e online –, aumento de 75% em relação ao ano anterior, com a participação de 1,9 milhão de pessoas, em 3.781 eventos.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

A educação financeira tem como objetivo conscientizar o indivíduo sobre a importância do planejamento financeiro, para que desenvolva uma relação equilibrada com o dinheiro e decisões acertadas sobre finanças e consumo.

Quando o cidadão entende os fatores que influenciam suas escolhas financeiras, consegue equilibrar seus desejos imediatos com suas necessidades de longo prazo. Um dos efeitos disso é o aumento do hábito de poupar, outro importante pilar da educação financeira. E todos saem ganhando, já que cidadão financeiramente educado contribui para o bem-estar coletivo, seja porque essa qualificação resulta em um sistema financeiro mais sólido e eficiente, seja porque cada pessoa tem melhores condições para lidar com emergências e momentos difíceis da vida.

Conheça mais sobre a Estratégia Nacional de Educação Financeira: www.vidaedinheiro.gov.br.

Share This