Imagem em destaque do post.

ANAFE prestigia cerimônia de Oficiais da Polícia Militar de São Paulo

O diretor do Centro de Estudos da ANAFE, Flávio Munakata, representou a entidade na solenidade de Formatura do Mestrado Profissional em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, de oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo, a convite do Coronel Sérgio Felleto.

O evento, ocorrido na última quinta-feira (6), teve como paraninfo da turma o Juiz Paulo Prazak, presidente do Tribunal de Justiça Militar (TJM/SP), e como anfitrião o Coronel Antônio Chiari, presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

O diretor do Centro de Estudos da ANAFE destaca que cabe aos oficiais o comando e a gestão de uma força policial de mais de 100 mil pessoas, que numericamente só tem paralelo nas forças armadas nacionais, tendo atribuições de segurança num estado com uma população de 41 milhões de pessoas, em 645 municípios.

De acordo com Flávio Munakata, a Constituição Federal prevê inclusive que as polícias militares, fundadas na hierarquia e na disciplina, são forças auxiliares e reserva do Exército. Ele ressaltou, ainda, a queda sucessiva dos índices de criminalidade e violência no Estado.

O Presidente do TJM/SP, Juiz Paulo Prazak, condecorou a Capitão PM Marisa de Oliveira com a medalha Pedro Dias de Campos, honraria concedida aos primeiros colocados nos Cursos de Formação e Aperfeiçoamento da Policia Militar.

PALESTRA E COPOM

Em 2017, a convite do Coronel Tercius Zychan de Moraes, Coordenador de Assuntos Jurídicos da Polícia Militar do Estado de São Paulo, a ANAFE participou da palestra do Procurador de Justiça Marcio Sergio Christino sobre crime organizado, retratado em seu livro “Laços de Sangue”, em coautoria com o jornalista Claudio Tognolli.

Na mesma data, a entidade conheceu as instalações do Centro de Operações da Polícia Militar do Estado de São Paulo (COPOM), central que recebe cerca de 45 mil chamadas por dia, das quais 15 mil geram ocorrências envolvendo o despacho de viaturas, além de demandas de cunho social, não necessariamente ocorrências criminais.

Nesta central processam-se grandes quantidades de informações e integra-se a ação de vários agentes públicos como bombeiros, engenharia de tráfego, atendimento médico móvel e de urgência, serviços públicos de eletricidade, transporte, gás, guardas municipais, e forças policiais estaduais e federais. Também visitou a sala de crises que permite gerenciamento da segurança em grandes eventos, manifestações populares e desastres de grandes proporções.

Share This