Imagem em destaque do post.

ANAFE e Fonacate definem estratégias de atuação contra a reforma da Previdência e o PLP 459/2017

Na tarde dessa quarta-feira (17), o Vice-Presidente da ANAFE, Rogério Filomeno, e demais integrantes do Fonacate se reuniram para discutir ações contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/2016), que dispõe sobre a reforma da Previdência, e para barrar a aprovação do PLP 459/2017, já aprovado no Senado Federal, que trata da securitização da dívida dos estados.

Durante a reunião, as entidades afiliadas aprovaram a intensificação do trabalho na base dos parlamentares nos Estados e no Congresso Nacional, assim que iniciar o ano legislativo, uma nova campanha de mídia que deve ser lançada em fevereiro, além de uma greve geral caso o governo insista na votação da reforma da Previdência.

Ações conjuntas entre o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Federais (Fonasefe) e o Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) também estão previstas para o começo de fevereiro. As entidades têm sido as responsáveis pelos últimos atos realizados contra a reforma tanto no Congresso como em todo o país.

ATUAÇÃO

O Fonacate começou o ano de 2018 protocolizando representação perante a Comissão de Ética da Presidência da República contra o Ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, para apurar as declarações de liberação de recursos de bancos públicos ao apoio de políticos à reforma da Previdência.

No documento, o Fonacate condenou declarações do ministro afirmando que serão liberados financiamentos da Caixa Econômica Federal apenas aos estados cujos governadores manifestarem apoio à reforma da Previdência.

NÃO AO PLP 459/2017

Os presentes debateram, ainda, propostas de ação pela rejeição ao PLP 459/2017, que trata da securitização de créditos. O Vice-Presidente da ANAFE alertou para os prejuízos que a proposta representa para o país e propôs atuações conjuntas contra o projeto.

Share This